milesgeniusbadgevideoexpertsunlimitedcreativeskillsformletsgoexperience

Carreira

Inteligência Emocional, com Daniel Goleman

Atualizado em 6 de Fevereiro, 2018

Inteligência Emocional, com Daniel Goleman

Inteligência Emocional, com Daniel Goleman

Inteligência Emocional, de Daniel Goleman, foi o campeão na votação do público, na última semana, para se resumido aqui no nosso blog. E que tema instigante, ein?

É uma competência mais complexa do que parece, muito longe de ser apenas simpatia, paciência e serenidade.

E é essencial para quem quer ter uma carreira bem sucedida.

Segundo pesquisa feita com mais de 500 mil pessoas por dez anos, realizada pelos pesquisadores Travis Bradberry e Jean Greaves, e publicada pela Revista Exame, somente 36% dos pesquisados conseguiram identificar as próprias emoções.

Os estudos mostraram ainda que tal competência tem grande relação com o sucesso profissional em todas as carreiras. Ainda de acordo com os dados levantados, 58% daqueles que se destacaram em suas profissões possuem um Quociente Emocional (QE) elevado. Não é o QI, mas sim a consciência de sim mesmo. E isso envolve:

1. Consciência de si mesmo
2. Gestão de si mesmo, como o autocontrole emocional, capacidade de adaptação, orientação para os resultados e otimismo.
3. Consciência social, como a empatiam, por exemplo
4. Gestão de relacionamentos, como influência, aadministração de conflitos, trabalho em equipe e liderança inspiradora.

O LIVRO

No livro, Goleman inicia com um dado interessante: o nosso Quociente intelectual (QI) contribui com apenas 20% do nosso sucesso na vida – os 80% restantes são o resultado da inteligência emocional, que inclui fatores como a habilidade de se auto motivar, a persistência, o controle dos impulsos, a regulação do humor, empatia e esperança.

O QI e a inteligência emocional (QE) não são habilidades opostas – mas trabalham de forma separada.

É possível ser intelectualmente brilhante, mas emocionalmente inapto e esse tipo de desalinhamento causa os maiores problemas na vida das pessoas.

A MESMA INTELIGÊNCIA DE MILHÕES DE ANOS ATRÁS?

Depois de milhões de anos, ainda possuímos o sistema emocional dos homens da pré-história, que se enfrentavam regularmente com situações de vida ou morte.

E, quase sempre, o nosso lado emocional frequentemente supera o nosso lado racional, que é a capacidade de pensar, de refletir.

Apesar das duas mentes funcionarem em harmonia e equilíbrio na maior parte do tempo, a emoção alimenta as operações da mente racional, que as vezes segue seus impulsos e em outras se esforça para ignorá-los.

Uma pode dominar a outra e as fortes emoções podem interferir em nossa atenção e em cada aspecto do pensamento. O segredo é equilibrar entre a razão e a emoção.

CONHEÇA OS PERFIS EMOCIONAIS. QUAL O SEU?

As pessoas costumam adotar alguns perfis típicos para enfrentar suas emoções, são eles:

AONDE ESTÃO SUAS PAIXÕES? O QUE TE FAZ BRILHAR O OLHO?

Uma vida sem paixões seria tediosa, por isso, seu objetivo é sempre ter as emoções adequadas e que elas sempre respondam às circunstâncias.

Quando as emoções são suprimidas, elas podem criar tédio e distância.

Por outro lado, quando elas estão fora de controle e são extremas e persistentes, podem se tornar patológicas.

A RAIVA PODE SER CONTROLADA?



O nosso cérebro não tem quase nenhum controle sobre as emoções que serão despertadas por algo, e nem quando isso vai ocorrer. Mas por outro lado nós temos controle sobre quanto tempo durará uma emoção e o quanto estaremos suscetíveis a ela.

Um bom exemplo de emoção difícil de ser evitada é a raiva. Você pode sim ficar com raiva de um colega de trabalho e provavelmente vai ser difícil evitar isso.

O que não pode ocorrer é que você fique por horas neste estado, que você fique vulnerável as atitudes dele que te incomodam e que isso comprometa sua produtividade.

Se você nota que começou a sentir raiva, uma boa forma de se livrar dela por exemplo, é encontrar uma distração. Que tal sair mais cedo e dar uma corrida? Aliviar e superar a raiva é importante, mas não podemos deixar que ela se torne uma tristeza. A tristeza frequentemente alivia a raiva, pode te levar a depressão.

DOMINANDO A DEPRESSÃO

Para quebrar um ciclo de depressão ou tristeza, precisamos bloquear os pensamentos que nos deprimem. A solução é relativamente simples: realizar atividades prazerosas. Qualquer tipo de coisa que nos agrade. Pode ser um esporte, uma prece, ajudar os mais pobres.

A ferramenta mais importante aqui é saber se reestruturar cognitivamente, ou seja, mudar sua percepção da situação atual, deixar de vê-la por uma ótica negativa e passar a vê-la por uma ótica positiva. Lembre-se, tudo tem um lado bom!

E A TAL DA ANSIEDADE, EIN? VAI DIZER QUE VOCÊ NÃO CONHECE ESSA PALAVRINHA?

Nossa ansiedade prejudica nossa mente racional, enquanto o bom humor alimenta nossa capacidade de pensar.
Se você tem auto controle, pode ser capaz de utilizar sua ansiedade como combustível para se manter motivado.

A relação que existe entre a ansiedade e o desempenho é como um U ao contrário.

Pouca ansiedade significa que não existe motivação, o que traz um desempenho ruim.

Por outro lado, muita ansiedade prejudica nosso lado racional e faz com que não sejamos capazes de tomar boas decisões.

A melhor performance encontra-se no meio do U invertido, num estado chamado hipomania, que é ideal para encontrar sua criatividade e performance máximas.

QUE TAL UMA DOSE DE MOTIVAÇÃO?



Motivação é crucial para alcançar seus objetivos.

Atletas e músicos se destacam por sua automotivação e suas rotinas de treinamentos de alta performance.

Uma habilidade essencial é ser capaz de reprimir emoções e impulsos que temos em busca de gratificações instantâneas, ou seja, para se motivar sempre ser gratificado em troca.

Saber ignorar as gratificações momentâneas como aquele pequeno lanche delicioso ou ganhar alguns trocados de maneira fácil é a chave para sucesso de longo prazo. Não existem atalhos, você vai ter que focar no longo prazo e se desapegar dos pequenos incentivos.

UMA DOSE DE OTIMISMO É SEMPRE BOM

Esperança e o otimismo também tem papéis importantes em nossas vidas.

Esperança significa não se deixar levar pelo negativismo ou momentos de depressão.

Otimismo significa atribuir seu fracasso às coisas que você pode mudar, de forma que, ao final, as coisas corram bem.

Se você consegue mudar seu destino, não há motivos para se deprimir. Otimismo é essencial para o sucesso no mundo dos negócios, onde as pessoas precisam se mover rápido e criar suas próprias oportunidades!

QUASE COMO UM “NIRVANA”

Estamos falando do Foco. É uma zona mental onde a produtividade é máxima. Você entra nessa “vibe” totalmente dedicada à tarefa. As distrações, os concorrentes e os problemas desaparecem completamente.

É o ponto ótimo da inteligência emocional no que se diz respeito a colocar as emoções a serviço do desempenho e do aprendizado.

Quase sempre o foco está em consonância com uma tarefa imediata.

Ficar preso ao tédio da depressão ou na agitação da ansiedade são coisas que te tiram o seu foco.

O fluxo é uma experiência que quase todo mundo tem de vez em quando, sobretudo quando alcança o desempenho ótimo e quebra suas barreiras.

O cérebro se torna calmo nesse estado de fluxo e faz com que uma tarefa difícil possa ser executada usando um mínimo de energia.

EMPATIA: SINTA PELOS OUTROS

As emoções não se manisfestam em palavras.

A chave para intuir os sentimentos de outra pessoa está na habilidade de poder interpretar os sinais não verbais: o tom da voz, os gestos, a expressão facial, os movimentos do outro.

Quanto mais emocionalmente conscientes estamos, mais habilidades teremos para ler os sentimentos dos outros.

Para se conectar, é preciso se importar. Empatia significa tentar sentir o mesmo, e se você não se importa, você acaba desenvolvendo sua antipatia. Muitas vezes, nossas atitudes empáticas vem dos nossos juízos morais.

Você mentiria para não magoar sua namorada? É importante entender como a empatia afeta seu julgamento para que você tome a decisão moralmente correta para você.

As raízes da moralidade devem se encontrar na empatia, já que o fato de empatizar com os afetados (por exemplo, alguém que sofre de uma dor, um perigo ou uma privação) e de compartir sua aflição é o que move as pessoas em atuar para ajudá-las.

AS ARTES SOCIAIS

Como muita gente, só nos tornamos amigos de uma pessoa aos poucos. Isso vai se desenvolvendo aos poucos, encontro por encontro.

Alguns encontros são fantásticos, outros acabam sendo tóxicos para nossa vida.

Demonstrações emocionais têm consequências imediatas no seu relacionamento com outras pessoas no dia a dia.
A simples maneira como alguém te cumprimenta e diz “oi!” pode fazer com que nos sintamos bem ou ignorados..
As emoções são contagiosas!

Nossos sinais afetam os outros o tempo todo. Sabe aqueles amigos que andam juntos todos os dias? Note como eles falam de maneira parecida e agem em sincronia.

Essa coordenação de emoções é a versão adulta da sintonia entre o bebê e a mãe. Ela é a verdadeira chave da eficiência interpessoal.

Quanto mais socialmente habilidosos somos, melhor controlamos os sinais que emitimos. A inteligência emocional se refere a ser capaz de controlar o quanto e como você expõe seus sentimentos.

NO SEU NAMORO OU CASAMENTO

Em um casal, existem duas realidades emocionais distintas, a de cada um dos envolvidos.

Homens e mulheres tem modelos emocionais diferentes que vem da sua criação e até mesmo biológicos. De forma geral, as mulheres são melhores em comunicar suas emoções, enquanto os homens tendem a minimizar e escondê-las.

A inteligência emocional pode ajudar a contrapor as tensões pessoais e sociais que fazem com que os relacionamentos fracassem.

Para evitar desacordos em um relacionamento, é preciso saber criticar uma ação sem atacar a pessoa. Os ataques pessoais deixam os sentimentos das pessoas feridos e as colocam na defensiva.

Em um relacionamento, é necessário reconhecer que os maus hábitos não mudam de um dia ao outro. Eles requerem persistência e atitude. O principal é aprender a estar sereno e dominar seus impulsos.

É preciso escutar sem estar na defensiva e se empenhar para ter empatia com as situações dos outros.

NO SEU ESCRITÓRIO, COM A SUA EQUIPE

A arrogância de alguns chefes comprovadamente desmotiva sua equipe e atrapalha a produtividade.

A aplicação da inteligência emocional para liderar é crucial e sua principal ferramenta é o feedback. Bons líderes e gerentes devem aprender, não só a dar feedback de maneira eficaz, mas também a aceitá-lo inteligentemente.
Você tem que ser cuidadoso em não confundir a crítica com ataque pessoal.

Uma crítica construtiva deve ser feita pessoalmente, com empatia, incluindo elogios e com foco em soluções.

As pessoas que recebem a crítica devem buscar aprender com ela e aceitá-la como uma oportunidade real de melhoria.

Atualmente, o coeficiente emocional de uma equipe se dá pela sua habilidade de trabalhar em harmonia aproveitando da melhor forma possível os talentos individuais de cada um dos membros.

NA SAÚDE

O cérebro emocional está diretamente relacionado ao seu sistema imunológico. O stress nos torna mais suscetíveis às doenças infecciosas.

A hostilidade e agressividade têm sido associados à problemas do coração.

Por isso é preciso trabalhar nosso cérebro emocional também. Exercícios de relaxamento, esportes, atividades prazerosas são maneiras de trabalhar e “malhar” nossos músculos emocionais.

Guiar sentimentos pode ser uma forma de prevenir doenças, fique atento a eles e veja se algum deles pode estar impactando a sua saúde e bem estar.

E COM AS CRIANÇAS?

Nosso cérebro não está totalmente formado no momento do nascimento. Ele segue se moldando e se desenvolvendo à medida que o tempo passa.

A vida familiar é o primeiro grande aprendizado emocional e nela aprendemos a entender nossos sentimentos e expô-los.

É importante entender como nossos sentimentos são moldados, suas origens e quando eles ocorrem para que possamos, ao longo da nossa vida, aumentar nossa inteligência emocional e também desenvolver a dos nossos filhos.
É essencial que você dê suporte ao desenvolvimento emocional das crianças.

Como um pai ou professor, você deve promover as habilidades emocionais, incentivando-os a falar sobre como eles se sentem.

Deixe claro para elas que o estado emocional as ajuda a controlar suas vidas e a atingirem seus objetivos. Também é importante dar críticas construtivas sempre. Se você vai criticar algo, faça-o com tato e carinho, ressalte os pontos positivos também.

 



Gostou do resumo? Deixe seu  comentário abaixo! Aproveite e sugira um livro para ser o próximo a ser resumido aqui!