miles genius badge video experts unlimited creative skills form letsgo experience

Inteligência Relacional

Inteligência relacional, a capacidade de conhecer a si e aos outros

Atualizado em 18 de dezembro, 2019

Inteligência relacional, a capacidade de conhecer a si e aos outros

Inteligência relacional, a capacidade de conhecer a si e aos outros

Até o fim do século passado, a inteligência era tida como uma habilidade absoluta — e definida como a capacidade de resolver problemas lógicos. Mas desde a década de 1980, outros tipos de inteligência entraram em jogo, entre as quais a inteligência relacional. 

Ao lado da inteligência emocional, musical, espacial e outros tipos, a inteligência relacional tem ganhado mais espaço, principalmente nos escritórios de todo o mundo, como uma soft skill desejável em diversos perfis de profissionais. 

Se você quer descobrir as características da inteligência emocional, o que é e o que ela permite fazer, basta acompanhar este conteúdo! 

O que é inteligência relacional

O que foi atribuído à inteligência relacional dá uma pista do que pode ser essa habilidade. Trata-se da capacidade de lidar bem consigo mesmo e, consequentemente, com o outro. O saber da inteligência relacional está ligado aos relacionamentos intrapessoal (ou seja, do sujeito com ele mesmo) e interpessoal (do sujeito com os outros). 

Ao longo do dia, o nosso humor, a nossa atenção e as nossas reações vão mudando. Entender isso e saber a que tipos de estímulos você reage melhor e quando está mais aberto a determinadas atividades faz com que você consiga ser mais produtivo e contribuir mais no trabalho em equipe.  

Desenvolver a inteligência relacional tem tudo a ver com o autoconhecimento, pois ela passa pela capacidade de reconhecer as suas qualidades, as suas limitações e de que formas você pode contribuir mais para o seu ambiente profissional, familiar e social. 

Pessoas dotadas de inteligência relacional contribuem muito mais para o ambiente, pois têm maior consciência de si. Esse conhecimento as torna mais observadoras do comportamento dos outros e mais empáticas. Assim, elas conseguem ajudar a quem ainda está menos desenvolvido nessa jornada. 

A consciência das suas qualidades e das limitações torna possível otimizar as ações. Isso porque, sabendo quais são os pontos fortes, você pode se inserir em atividades que sabe que vai desempenhar bem. Quanto às limitações, ter consciência delas é o primeiro passo para trabalhá-las e se tornar uma versão melhor de si mesmo. 

Inteligência emocional e relacional

É comum uma confusão entre a inteligência emocional e relacional. Afinal, os dois tipos de inteligência estão mesmo interligados. Mas há algumas diferenças entre elas. 

A inteligência emocional está ligada a compreender e aceitar que, enquanto seres humanos, nós temos sentimentos e emoções que não podem ser colocados à parte quando estamos no ambiente profissional. 

As frustrações, os medos, as inseguranças, a tristeza, tudo isso afeta o nosso desempenho no trabalho, e reconhecer isso é o primeiro passo para conseguir lidar com as emoções e, na medida do possível, manter o fluxo de trabalho em andamento — ainda que em um ritmo mais desacelerado. 

Quando a inteligência relacional entra em jogo, o que acontece é um aprendizado ainda mais profundo sobre essa dimensão emocional do ser humano. Essa competência nos ensina sobre quais emoções são desencadeadas nas diversas situações. 

Isso gera também o aprendizado de não reagir de imediato, sob o efeito das emoções. Ter inteligência relacional significa conseguir reconhecer os sentimentos, mas não agir por impulso.

Características da inteligência relacional

A inteligência relacional está sendo uma habilidade muito valorizada no ambiente profissional, pois pessoas que conhecem a si mesmas e desenvolvem relacionamentos melhores contribuem de forma mais positiva para o clima organizacional e a qualidade de vida no ambiente de trabalho. 

As soft skills têm sido fortes critérios de desempate no recrutamento e seleção, e o autoconhecimento é um fator chave para desenvolver essas habilidades comportamentais. Além disso, o cenário atual, cheio de mudanças e em constante necessidade de transformação, pede profissionais capazes de se adaptar e progredir, mesmo diante da instabilidade do contexto. 

A seguir, vamos explorar algumas características de quem tem a inteligência relacional bem desenvolvida. 

Habilidade de liderança

O líder com boa capacidade relacional consegue extrair o melhor de cada um dos integrantes da sua equipe. Ele é capaz de enxergar as relações que as pessoas estabelecem, reconhecer os seus pontos fortes e as limitações e atribuir funções de acordo com esse perfil. 

Facilidade de comunicação

Muitas vezes, a raiva em uma determinada situação vem do fato de não reconhecer o sentimento de frustração e não saber como fazer para diminuí-lo ou simplesmente lidar com ele. 

Se você entende bem as suas emoções, as suas habilidades técnicas e comportamentais e os pontos nos quais deve melhorar, você consegue também se expressar de forma mais clara, mais construtiva e menos agressiva. 

Melhora da capacidade de ouvir

O profissional que tem a inteligência relacional desenvolvida torna-se um melhor ouvinte. Isso acontece porque ele não tem a necessidade de se defender o tempo todo. Em vez disso, a pessoa tem interesse real em ouvir os colegas, de forma a entender outros pontos de vista. 

Uma grande vantagem disso é que abre-se o espaço para novas ideias, que podem resultar em soluções inovadoras para problemas e desafios. Além disso, a escuta atenta é uma ferramenta poderosa na mediação de conflitos

Flexibilidade para mudanças

Conhecer melhor a si mesmo é como abrir a porta para uma nova dimensão social. A partir dos seus próprios sentimentos e das suas reações diante de cada situação, você começa a enxergar a dinâmica por trás da reação das outras pessoas e as relações estabelecidas entre você e os colegas, mas também entre terceiros. 

Isso o torna um profissional mais flexível, com maior capacidade de adaptação aos processos internos, maior disponibilidade para encontrar uma via intermediária para impasses, mais empatia e tolerância. 

Melhora na capacidade de negociação

Uma característica muito interessante de quem tem a inteligência relacional desenvolvida é a melhora na capacidade de fazer boas negociações. Isso se deve ao fato de você desenvolver mais a empatia e passar a entender melhor as dores e as limitações do outro. 

Com esse conhecimento, consegue saber em quais pontos o seu interlocutor pode ceder mais e o que é um fator inegociável para ele. Essa característica é uma que interessa particularmente no ambiente profissional. 

Respeito pelos outros

Quando você entende melhor a si mesmo e aos seus colegas e superiores, você desenvolve um maior respeito por essas pessoas. Você passa a enxergar cada um como um indivíduo complexo, com qualidades e defeitos. 

Isso faz com que você esteja mais disposto a não criar uma barreira quando a pessoa tiver algum comportamento que desagrade. As diferenças são respeitadas, encontra-se uma via intermediária para o convívio e, daí, podem surgir ótimas parcerias e relações entre os colegas. 

Roda da inteligência relacional

A inteligência relacional está baseada em um conjunto de competências, que podem ser trabalhadas individualmente. Acompanhe a seguir. 

Fonte: Inteligenciarelacional.com

Autoestima

A autoestima é um aspecto fundamental para a inteligência relacional. A pessoa que tem uma boa imagem sobre si mesma é capaz de reconhecer as suas qualidades, mas também admitir as limitações, sem que isso se torne uma crise pessoal. 

Resiliência

Para conhecer a si mesmo, é necessário ser resiliente. Isso porque o autoconhecimento implica lidar com frustrações, e é preciso saber como superar esses momentos sem se abater. 

Diálogo

A inteligência relacional pressupõe uma grande capacidade de diálogo. Conhecendo a si mesmo e à forma como você se relaciona com os outros, será necessário conversar para expor as suas ideias e encontrar um caminho para negociar soluções. 

Concentração

A concentração é um aspecto importante para desenvolver essa soft skill. Para se conhecer melhor e também entender o tipo de relacionamento que você estabelece com os outros, é importante conseguir estar presente no momento, com atenção total ao que está acontecendo no aqui e agora. 

Empatia

A empatia é um fator de mão dupla na inteligência relacional. Ou seja, quanto mais capacidade relacional você desenvolve, mais empatia tem. Por outro lado, a empatia é uma das competências que você precisa para alcançar a habilidade relacional. 

Portanto, trabalhar a capacidade de enxergar o mundo pelo ponto de vista de outras pessoas é um ótimo exercício para você trabalhar essa soft skill tão importante.  

Está convencido que a inteligência relacional é capaz de oferecer um grande diferencial de mercado, além de capacitar você para desenvolver relações mais positivas profissional e pessoalmente? Então que tal conhecer o nosso Curso Inteligência Relacional

Em 11 videoaulas, você vai aprender como se tornar um ímã de pessoas e o líder que todos os colaboradores gostariam de ter. Também vai descobrir como engajar pessoas pelo propósito e conseguir que elas embarquem na sua ideia, envolvendo-se muito mais com os projetos. Com esse curso, você estará um passo mais próximo de uma carreira de liderança. Faça a sua inscrição agora e prepare-se para ser alguém de quem todos querem estar perto!