miles genius badge video experts unlimited creative skills form letsgo experience

Carreira

Resumo do livro “Roube como um artista”: tudo o que você precisa saber sobre processo criativo em 13 insights essenciais

Atualizado em 1 de novembro, 2019

Resumo do livro “Roube como um artista”: tudo o que você precisa saber sobre processo criativo em 13 insights essenciais

Resumo do livro “Roube como um artista”: tudo o que você precisa saber sobre processo criativo em 13 insights essenciais

Austin Kleon é um dos autores mais lidos do mundo, e seu mérito foi conseguir explicar de forma simples o processo criativo. Neste post, você encontra um bom resumo do livro “Roube como um artista”, que conquistou o topo da lista de best sellers do jornal The New York Times.

O livro é um guia para quem quer desenvolver a criatividade, uma das soft skills mais valorizadas do novo milênio. Nele, o autor parte do princípio que, hoje em dia, ninguém mais tem ideias 100% originais. Copiar seus artistas favoritos e se inspirar neles para começar seus próprios trabalhos é legal e vantajoso. A questão aqui é aprender a combinar ideias que já existem, criando assim uma coisa “nova”!

Está pronto para desbloquear o seu processo criativo? Então siga a leitura do post!

Resumo do livro “Roube como um artista”: ponto a ponto

1. Você não precisa ter ideias originais

Qual a primeira pergunta que você faria para seu artista favorito se estivesse frente a frente com ele? Não sei você, mas muitas pessoas querem saber de onde os artistas tiram suas ideias.

Essa é uma das perguntas mais frequentemente direcionadas a eles. Se todo artista fosse honesto, só existiria uma resposta correta para essa pergunta: “Eu roubo ideias”.

Artistas possuem um jeito peculiar de observar o mundo ao seu redor. Em vez de julgar em termos de certo ou errado, eles julgam se essas coisas são valiosas o suficiente para serem copiadas.

Todos os artistas entendem que nenhum trabalho é original. Cada arte é construída de uma arte preexistente.

Quanto mais cedo você perceber isso, mais chances tem de melhorar sua arte e seu processo criativo. Embora essa ideia seja deprimente para algumas pessoas, pode dar esperança para outras.

Liberte-se da mentalidade de que você precisa ter ideias originais. Pare de fugir das influências e se permita ser influenciado pelas ideias de outras pessoas. Cada “nova” ideia é uma combinação de ideias preexistentes. O que você é hoje é uma mistura de suas interações com a vida. Ninguém jamais vai reinventar a roda.

A única razão pela qual as pessoas chamarão alguma coisa de original é o fato de não estarem familiarizadas com a fonte inspiradora. Pare de lutar tentando criar ideias originais para seu trabalho.

No resumo do livro “Roube como um artista”, Kleon explica que o artista é um colecionador, mas nem todas as ideias são dignas de coleção. Apesar de serem “ladrões” bem-sucedidos, artistas são exigentes.

Não pegue “emprestado” todas as ideias que aparecem na sua frente. Algumas são valiosas, outras não merecem seu tempo.

2. GIGO

GIGO (Garbage in – Garbage out) é um conceito da computação, cujo acrônimo em inglês significa “lixo para dentro, lixo para fora”. Em outras palavras, qualquer dado que você coloca em seu computador é o que você vai receber de volta.

Nossos cérebros trabalham de maneira parecida. Acabamos nos tornando o que está ao nosso redor. Sua tarefa principal como um artista é escolher as ideias pelas quais deseja ser influenciado e ignorar as outras. A maneira mais eficiente de melhorar sua arte é escolhendo um mentor em sua área de atuação. Esse é outro ponto alto do resumo do livro “Roube como um artista”.

3. Aprendizado contínuo

Só porque você já saiu da escola ou faculdade, não significa que você deve parar de aprender. A educação está em toda parte e, se você quer ser o melhor no que faz, todos os dias devem ser dias de aprendizado. Veja algumas dicas de resumo do livro “Roube como um artista”:

  • Para ser melhor do que todos, avance mais do que eles.
  • Use o Google para pesquisar coisas que você não sabe.
  • Compre livros para construir sua própria biblioteca.
  • Leia livros que inspiram você.
  • Visite a biblioteca e fique imerso.
  • O que quer que você faça, não pare de aprender.
  • Pensamentos e ideias podem nos atingir nos momentos e lugares mais inapropriados.
  • Carregue uma caneta e um caderno para anotar suas ideias.
  • Grave observações que você faz em um parque, no metrô ou em conversas.
  • Tenha um arquivo onde você guarda todas as pequenas anotações que você “rouba”.
  • Abra seu arquivo sempre que precisar de inspiração.
  • Você vai ficar surpreso sobre como uma anotação que parece inútil pode ajudar muito!

Nesse tópico do resumo sobre o livro “Roube como um artista” a dica é simples: nunca pare de aprender!

4. Não espere muito para começar a trabalhar na sua arte 

Nada mata tanto a criatividade quanto a procrastinação. Não seja um artista que espera aprender quem você é antes de começar a trabalhar em sua arte. Comece a fazer coisas enquanto você está no processo para se descobrir. Se você espera descobrir quem você é, vai acabar esperando por muito tempo.

Só podemos nos descobrir quando estamos imersos em nosso trabalho criativo. É natural ter medo de mergulhar na arte.

Não tem problema duvidar de você mesmo. Esse medo afeta todos os artistas. Ele tem até um nome clínico – a síndrome do impostor, descrita como a ‘incapacidade de internalizar realizações’.

A síndrome do impostor faz você se sentir como se não entendesse o que está fazendo. Não deixe que isso te derrube. Todo grande artista sofre com a síndrome do impostor. O segredo está em não deixar que isso te atrapalhe.

Se você se interessou por esse assunto, pode entender mais sobre ele em um vídeo do TEDx São Paulo:

A princípio, pode ser que ninguém note seu trabalho e saiba o que você está fazendo. Porém, não deixe que isso interrompa o seu fluxo.

  • Aja como se fosse o melhor artista do gênero.
  • Aja como se você estivesse trabalhando em alguma coisa grande. Continue trabalhando e acreditando em você, até que veja a luz no fim do túnel.
  • O mundo é como um grande palco, e nós somos os atores.
  • Transforme seu local de trabalho em um teatro. O que você veste enquanto trabalha é seu figurino.
  • Suas ferramentas são seus materiais de trabalho, e o tempo é o roteiro.

Comece a atuar!

5. Engenharia reversa? 

Uma das melhores maneiras de ser criativo é utilizar a engenharia reversa nos trabalhos dos artistas que te inspiram. Ou seja, a partir da obra pronta, tente entender os processos que levaram o artista àquele resultado.

Observe que existe uma grande diferença entre plágio e cópia. Plágio é tentar passar o trabalho de outra pessoa como se fosse seu. A cópia, por sua vez, tem mais relação com a engenharia reversa. É como tentar desmontar um celular para descobrir como ele funciona.

Os seres humanos adquirem a maior parte do conhecimento ao longo da vida por meio da cópia. Como no jardim de infância, onde você precisou aprender a escrever copiando números e letras do alfabeto.

Uma abordagem sistemática de reprodução vai desenvolver sua criatividade: escolha quem você quer copiar e o que/como vai copiar, e estará no caminho para dominar sua arte.

Em algum momento, todo artista precisa parar de copiar seu herói. Seu trabalho criativo vai começar a emular o trabalho deles. A emulação é construída a partir da imitação. Ela começa da percepção de que não podemos ser como nossos heróis e de que nosso trabalho vai ser diferente do deles. Felizmente, essa diferença não é um defeito.

Nós só estamos sendo nós mesmos. A ampliação de seus pensamentos é uma verdadeira emulação, de onde surge a criatividade.

6. Escreva sobre as coisas de que gosta 

Você já se sentou por horas se perguntando como escrever, pintar ou compor? Você não está sozinho. Muitos jovens artistas, especialmente escritores, sofrem da chamada “deficiência de ideias”.

Muitos artistas já ouviram que devem escrever sobre aquilo que eles sabem, mas esse é um terrível conselho. Não escreva sobre o que você sabe, escreva sobre o que você gosta.

Coloque no papel (ou na tela) a história que desejaria ler. Pode parecer estranho, mas não é esse o motivo para se criar uma ficção, nos distanciar das realidades grotescas do nosso mundo?

Pense sobre seu filme favorito, se ele tivesse uma sequência, como ela seria? Pense sobre seus heróis criativos, se eles fossem criar mais uma obra prima, como ela seria? Se todas as pessoas criativas que te inspiram fossem colaborar em um projeto, como ele seria? É sobre isso que você deve escrever.

7. Esqueça o computador por um tempo e trabalhe com um caderno 

Dê um tempo do seu computador. Escreva anotações à mão em um caderno. Use suas mãos para criar alguma coisa. É muito fácil ficar imerso e gastar um tempo em frente ao computador. No entanto, você precisa se lembrar que o aparelho não produz ideias.

Embora certamente não possamos mais viver sem eles, existe um perigo em confiarmos nos computadores para nos fornecerem tudo. Eles roubam nosso autêntico sentimento de sermos criadores. Veja as dicas do resumo do livro “Roube como um artista”:

  • Os computadores nos alienam e nos afastam do processo criativo.
  • Sentar em frente a seu computador não está só sufocando sua criatividade, mas também sua saúde.
  • Você precisa voltar ao básico: construir coisas com suas mãos e com sua cabeça.
  • Nenhuma reação mágica acontece quando você usa suas mãos para criar.
  • Se você começa a desenhar uma linha em um caderno, seu cérebro entra em movimento instantaneamente.
  • Você começa a pensar em como fazer esse desenho melhor, o que raramente acontece quando você faz a mesma coisa em um computador.
  • Se você tem espaço suficiente em sua oficina de trabalho, instale plataformas de trabalho analógicas e digitais.
  • Encha seu posto de trabalho analógico com ferramentas de trabalho como canetas, marcadores, clipes de papel e cadernos.
  • Quando você se cansar de trabalhar no computador, trabalhe em seu posto analógico.
  • Esboce suas ideias, prenda coisas na parede, faça coisas que não envolvam aparelhos eletrônicos.

Você vai se surpreender com a influência que isso tem em sua criatividade. Se você sentir que está começando a perder energia, volte para seu posto de trabalho digital.

8. Descanse o seu cérebro, tire um tempo livre 

É muito difícil vencer a procrastinação. Em alguns momentos, você se encontra fazendo diversas outras coisas diferentes do que deveria estar fazendo. Em vez de se culpar por isso, tente tornar seus hobbies mais produtivos.

No livro “Roube como um Artista”, o autor conta que sua experiência como artista e escritor de livros lhe ensinou que ter alguns projetos diferentes acontecendo ao mesmo tempo é uma coisa boa. Ele afirma que quando se sente cansado de se concentrar em um projeto, muda para outro e, às vezes, precisa de um tempo livre de todos os projetos.

Toda pessoa criativa precisa descansar seu cérebro e não pensar em nada. Algumas vezes, evitar o trabalho é a melhor maneira de reorientar sua mente.

Dave Duarte, palestrante da Graduate School of Business da Universidade de Cape Town, falou sobre o poder de não fazer nada em seu TEDx. Assista:

9. Compartilhe seu trabalho com outras pessoas

Um dos maiores medos dos artistas é o de continuar desconhecido. Não existe uma pílula mágica que vai fazer todo mundo virar fã do seu trabalho. As pessoas não vão te notar, a princípio, pois estão muito ocupadas para prestar atenção em você.

Embora esse medo seja uma preocupação genuína, você não deve se preocupar com isso, pelo menos não no início. Você vai querer começar a aparecer na mídia quando já tiver dominado sua arte e quando estiver produzindo um trabalho extraordinário.

Então aqui vai um ponto importante do resumo do livro Roube como um Artista que pode parecer contraintuitivo: continuar desconhecido pode ser libertador! Isso porque dessa forma você pode cometer erros, experimentar e criar trabalhos diferentes.

Essa liberdade é perdida no momento em que você se torna um artista conhecido. Haverá críticos esperando para examinar tudo que você fizer e stakeholders que te pressionam a produzir trabalhos melhores.

Você também terá fãs inundando seus e-mails. Aproveite o desconhecido enquanto ainda pode.

Existe uma fórmula muito simples para ser descoberto, que nós revelamos neste resumo do livro “Roube como um artista”. Produza ótimos trabalhos e compartilhe. Você não pode pular nenhum desses passos:

  • Crie ótimas coisas.
  • Compartilhe com as pessoas.
  • Produzir ótimos trabalhos exige muita prática e persistência.
  • Você não vai se tornar um Beethoven depois de apenas algumas tentativas de compor músicas.
  • Você não vai se tornar um Da Vinci da noite para o dia.
  • Pratique e seja persistente.

Compartilhar seu trabalho é muito fácil atualmente. Você só precisa colocá-lo na internet e promovê-lo. Obviamente, você precisa estar aberto a compartilhar seu trabalho com outras pessoas e a aprender a mágica por trás do marketing online.

Aprenda como criar um site e como promovê-lo utilizando as redes sociais e outras ferramentas da internet. Quando você mostra seu trabalho para outras pessoas, acaba aprendendo muito no processo. A internet se torna mais do que apenas um lugar de anúncios. Ela se torna uma incubadora de ideias. Você vai se beneficiar ao compartilhar sua arte.

No entanto, se você não está confortável em compartilhar os detalhes do seu trabalho,  não precisa fazer isso. Você pode compartilhar muitas outras coisas. Um link para um artigo interessante, um meme engraçado, pode mostrar a seus fãs um vislumbre do seu trabalho.

Apenas garanta que você está visível e que está compartilhando. Compartilhar ajuda a se conectar com as pessoas que possuem interesses similares aos seus. Estar online te motiva a trabalhar duro, a criar mais coisas para seus fãs. Quando está publicando seu trabalho online, você quer que seu próximo projeto seja melhor que o anterior.

10. Mude-se, viaje, tenha novas experiências

Há alguns anos, se você quisesse conhecer pessoas criativas como você, precisaria mudar de cidade e algumas vezes até mesmo de país. Felizmente, esse não é mais o caso.

A internet abriu as fronteiras geográficas mundiais, e você não precisa se mudar para se conectar com pessoas de que gosta. É preciso apenas um lugar quieto para trabalhar e um aparelho com conexão à internet.

Entretanto, deixar a rotina de lado pode trazer muita inspiração. Se você puder, deixe sua casa de vez em quando e vá a algum lugar diferente. Seu cérebro tem um hábito estranho de ficar muito confortável em ambientes familiares.

Para manter seu cérebro trabalhando da melhor forma, você vai precisar se mover de um ambiente confortável para um ambiente diferente com pessoas com uma cultura diferente.

Viajar revitaliza seu cérebro. O local de destino é uma questão de preferência pessoal e gosto. No entanto, você pode descobrir que ir a um lugar com um clima horrível pode ajudar muito. O clima ruim estimula a passar a maior parte do seu tempo dentro de casa, trabalhando em seus projetos.

Você pode também querer se mudar para um lugar onde as pessoas são interessantes, mas não fazem o que você faz. Encontre um lugar que te recarregue espiritualmente, socialmente e fisicamente.

A melhor coisa sobre se mudar nos dias de hoje é que seus amigos e colegas estão vivendo em um lugar onde você pode sempre encontrá-los, a internet.

11. Seja legal e trate bem todas as pessoas

Para sobreviver e prosperar, você precisa ser legal com seus amigos e dominar a arte e a ciência de ignorar seus inimigos.

Você se lembra do princípio “lixo para dentro, lixo para fora”? Ele também se aplica para seus relacionamentos com as pessoas. Se você está rodeado de pessoas que não possuem compromisso nenhum, você também vai ficar assim. Isso significa que você precisa ser seletivo sobre as pessoas com quem você se conecta online.

Cerque-se de pessoas que inspiram e motivam, e o céu será o limite. Aprenda com essas pessoas. Seja curioso para verificar o que elas estão dizendo e o que elas estão lendo. Se você descobrir que é a pessoa mais talentosa em sua rede, encontre outro grupo para se relacionar.

Em sua jornada para fazer conexões na internet, você pode cruzar com opiniões diferentes das suas, algumas delas claramente erradas, mas não tente corrigi-las. Não é sua responsabilidade corrigir ninguém na internet.

Vença a tentação de entrar em lutas que não são suas, caso contrário, você será pego em rotinas improdutivas, das quais é difícil se desvincular. A única maneira plausível de mostrar que alguém está errado é criar um trabalho que você acha que está certo.

Muitas vezes, quando elogiamos o trabalho de alguém, esperamos escutar uma resposta dessa pessoa, receber um reconhecimento. Ocorre que as pessoas são ocupadas e nem sempre conseguem responder às cartas dos seus fãs.

A melhor maneira de lidar com isso é não esperar o reconhecimento das pessoas que você admira. Faça elogios públicos ao trabalho dessas pessoas, sem esperar receber algo em troca. Escreva um artigo sobre elas e poste em seu blog, ou retuíte seus tweets. Notado ou não, você terá feito sua parte.

Pode levar um tempo até que alguém reconheça o valor naquilo que você faz. Infelizmente, não há muito o que fazer sobre isso. Pare de procurar pela validação das pessoas.

Depois de criar seu trabalho e publicá-lo, não depende de você determinar como as pessoas vão reagir a ele. Apesar de ter passado meses de noites sem dormir, trabalhando, isso vai parecer fácil para algumas pessoas.

Você será muito incompreendido e pode até ser xingado, mas se acostume com isso e siga em frente. Desde que você esteja fazendo o que ama, não precisa se preocupar com o que as pessoas dizem a seu respeito.

Algumas vezes, você vai acertar em cheio no seu trabalho. As pessoas vão notar e vão te encher de elogios. Mas é da natureza da arte que os elogios não sejam duradouros. As pessoas vão se esquecer de você. Os elogios vão acabar e você vai voltar para seu mundo solitário, cheio de dúvidas.

Em alguns dias você pode sentir vontade de desistir. A melhor maneira de lutar contra isso, é manter um arquivo das suas conquistas, guardando, por exemplo, e-mails com elogios recebidos durante momentos em que seu trabalho foi muito bom.

Ao reler essas mensagens, você se sentirá relevante novamente. Tente fazer isso, mas  seja cuidadoso para não se prender ao passado. Essa dica do resumo do livro “Roube como um artista” é valiosa!

12. Cuide do seu dinheiro e faça coisas produtivas

O retrato da mídia dos artistas como pessoas despreocupadas e festeiras é muito distorcido. Se você tenta viver como os artistas retratados pela mídia, ou vai morrer muito jovem, ou vai gastar seu tempo sendo muito improdutivo. Guarde sua energia para ser criativo.

Em vez de desperdiçar toda sua energia em festas, faça alguma coisa para melhorar sua vida. Vá à academia, cozinhe uma comida saudável, durma bem para revitalizar seu cérebro, passe tempo com sua família ou leve seu cachorro para passear.

Além disso, aprenda como gerenciar seu dinheiro de maneira apropriada. Você não vai querer se estressar com suas finanças, pois isso pode envenenar sua criatividade.

Não permita que a ideia de ser um artista ocupe sua cabeça. Você precisa ter disciplina para viver com seus meios. Cuide do seu dinheiro e não compre coisas de que não precisa. Aprenda como se manter com o dinheiro que você tem e não se renda à cultura consumista.

Pode levar um tempo até que sua arte dê dinheiro suficiente para pagar suas contas. Mantenha seu emprego até que isso seja possível.

Um emprego formal não só mantém seu estilo de vida enquanto você espera que sua arte seja reconhecida, mas também te dá a oportunidade de conhecer pessoas e fazer conexões. Aprenda com as pessoas que você conhece, roube suas ideias e enriqueça sua criatividade.

O segredo para se equilibrar entre seu emprego formal e seu trabalho criativo é encontrar um emprego decente com um salário decente, que te dá energia suficiente para trabalhar em seus projetos quando você está com tempo livre.

A pior coisa que um emprego formal faz com você é roubar seu tempo, mas isso é recompensado por te colocar em uma rotina. Você pode agendar seu trabalho criativo para quando estiver livre. Ter um cronograma regular é muito mais produtivo do que ter muito tempo livre.

Criar um cronograma é bem fácil. Descubra a que horas você está livre para fazer seu trabalho criativo e se mantenha determinado a terminar durante esse tempo todos os dias.

13. Ser original é um valor

Se você chegou até aqui nesse resumo do livro Roube como um Artista, já conseguiu entender que, no fim, a originalidade é na verdade superestimada. Hoje, cada vez mais, saber criar suas referências e se apropriar de receitas que funcionaram para outros se tornou uma habilidade essencial para quem busca o sucesso.

Entenda o trabalho de quem veio antes de você, entenda como e porque ele funcionou e incorpore as melhores ideias no seu dia a dia.

Além disso, compartilhar suas ideias com outras pessoas também se tornou uma habilidade chave. No fim das contas, para ter sucesso, o importante é ser capaz de combinar ideias de todo mundo sem perder sua identidade.

Não fique só no resumo do livro Roube como um Artista 

Depois de ler este resumo do livro “Roube como um artista”, ficou interessado em explorar mais o seu potencial criativo? Então você deveria conhecer o nosso curso online “Desbloqueie a sua criatividade”.

Em 14 aulas, você vai aprender pontos importantes, como:

  • Quando usar a criatividade?
  • Onde começar a ser criativo?
  • Como fazer a criatividade acontecer no seu dia a dia?
  • Ferramentas criativas.
  • E muito mais!

O curso é ministrado pelo mentor Denilson Shikako, que é especialista em neurociências e criatividade. No fim do programa, você recebe um certificado reconhecido. Gostou da ideia? Então inscreva-se já!