milesgeniusbadgevideoexpertsunlimitedcreativeskillsformletsgoexperience

Criatividade

7 elementos essenciais para ter uma ideia e inovar qualquer coisa

Atualizado em 30 de outubro, 2017

7 elementos essenciais para ter uma ideia e inovar qualquer coisa

7 elementos essenciais para ter uma ideia e inovar qualquer coisa

Não existe uma metodologia “receita de bolo” para criar novas ideias, mas muitas delas incluem uma variação de 4 passos: inspiração, síntese, idealização/experimentação, implementação, segundo Tom Kelley e David Keller, no livro “confiança Criativa, “uma inovação pode passar por muitas iterações antes de se tornar algo real e viável”.

As melhores empresas do mundo já provaram que a inovação parte do que pode ser praticável, viável, desejável juntamente com as necessidades reais das pessoas.

Lembramos do Design Thinking. As pessoas que utilizam as técnicas criativas do Design Thinking e métodos mais criativos para resolver problemas, por exemplo, são capazes de aplicar a imaginação para vislumbrar um cenário futuro.

Elas acreditam que podem desenvolver as ideias existentes e afetar positivamente o mundo ao seu redor, seja no trabalho ou na vida pessoal.

INSPIRAÇÃO

Não fique esperando que a maçã de Newton caia na sua cabeça. Saia pelo mundo e busque proativamente experiências que estimularão o pensamento criativo. Interaja com experts, mergulhe em ambientes desconhecidos e faça exercícios de interpretação de papéis para aprofundar seu conhecimento sobre cenários dos clientes.

A inspiração é promovida por ações deliberadas e planejadas como exercer a empatia, que cria a conexão com as necessidades, desejos e motivações de pessoas reais, ajudando a inspirar e instigar ideias originais. Observar o comportamento das pessoas em campo e acompanha-las em seu dia a dia pode trazer à tona novos insights para inovar produtos e serviços.

SÍNTESE

Após ir a campo, o próximo passo é “decifrar” a coisa toda. Identifique temas em comum e encontre um sentido em tudo o que foi visto. Organize em um mapa da empatia ou crie uma matriz para categorizar as soluções em diferentes tipos.

No curso Design Thinking Experience, Gustavo Vieira ensina essa etapa com um exemplo bem prático e enfatiza. “Busque identificar um terreno fértil. Pense e repense o problema e escolha onde focar sua energia”, disse.

 

IDEALIZAÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO

Após entender a questão, na prática, em campo, muitas ideias podem surgir. É importante identificar e analisar as ideias mais promissoras. Para isso, represente as melhores ideias em protótipos rápidos (representações para que as pessoas possam interagir com elas).

O segredo aqui é ser rápido e astuto, explorando uma variedade de ideias sem deixar-se envolver demais com uma ideia só.

 

IMPLEMENTAÇÃO

A fase de implementação pode incluir rodadas, e em número cada vez maior de empresas em todos os setores está começando a lançar novos produtos, serviços ou negócios implementando essas ideias em forma de teste. Essas empresas estão sempre em beta e realizam rápidas iterações por meio de novos ciclos até refinar a ideia.

É importante saber que novas oportunidades de inovação se abrem quando você dá inicio ao processo de resolução criativa de problemas acrescentando 3 elementos, de acordo com Tom Kelley e David Kelley.

TECNOLOGIA SOZINHA NÃO BASTA

Uma nova tecnologia, se realmente funcionar, pode ser extremamente valiosa e pode proporcionar as bases para uma nova empresa de sucesso ou um novo ramo de negócios.

Componentes de aeronave feitos de fibras de carbono, displays interativos multitoque e instrumentos cirúrgicos são grandes ideias que revolucionaram alguns setores.

No entanto, uma tecnologia descolada não basta. Se bastasse, todos nos estaríamos andando por aí brincando com cachorrinhos robóticos.

TEM QUE SER VIÁVEL

A tecnologia não apenas deve funcionar como também deve ser produzida e distribuída de um modo economicamente viável. Ela precisa se adequar a um modelo de negócio que possibilitará a prosperidade do empreendimento.

Nos anos 50, a revista Popular Science, publicou um artigo que dizia que as famílias do século XXI teriam o próprio helicóptero pessoal no quintal de casa. Até agora, ninguém apareceu com um brilhante modelo de negócio para fazer com que helicópteros sejam acessíveis a famílias de classe média.

PARA AS PESSOAS

Os fatores humanos não são mais importantes que os outros dois elementos, mas podem proporcionar algumas das melhores oportunidades de inovação. A abordagem centrada no humano é a essência do processo de inovação, segundo Tom Kelley.

A empatia é uma profunda fonte de inspiração. É preciso saber o que elas fazem, porque elas fazem e o que elas farão no futuro. É a assim que teremos insights e oportunidades para soluções verdadeiramente criativas.

Gostou do artigo? Deixe seu comentário abaixo!